A ira contra Deus

24
45

Peter Hitchens foi ateu e trotskista durante parte considerável de sua vida; o mesmo ocorreu com seu irmão, Christopher Hitchens. Peter, entretanto, tomou outro caminho. Sua rotina de estudos na história, na teologia e na filosofia o levou a redescobrir Deus e não mais odiá-lo, fazendo-o abandonar, assim, o pensamento do novo ateísmo, a que aderira e que seu irmão liderava.

Tradução: Gabriel Carvalho
Revisão: Andrey Costa

Ajude-nos a continuar: https://apoia.se/tradutoresdedireita

Webpage: http://TradutoresdeDireita.org e https://estibordo.org
Facebook: http://facebook.com/https://www.facebook.com/Estibordo-419330148661010
Twitter: http://twitter.com/tradutores_br
Instagram: https://www.instagram.com/tradutoresdedireita

Youtube Tradutores de Direita

24 COMENTÁRIOS

  1. Há, sem dúvida, um ódio no coracão da maioria esmagadora da humanidade contra Deus, e isso sem perceberem. Amam tudo o que Deus odeia, e assim se fazem inimigos de Deus.

  2. Eu, do alto da minha arrogância de adolescente rondei o ateísmo, mas o tempo, sempre ele, o tempo passa, você se embrenha no estudo de exatas, para afirmar seus pontos de vista e de repente você descobre que há lacunas intransponíveis na visão mecanicista de mundo, que probabilisticamente o mundo não deveria existir e, contra toda a intuição e verdades da ciência moderna nós estamos aqui e mais, não há uma resposta lógica para o que é vida e o ápice da revolução tecnológica a inteligência artificial é uma fraude, mais uma entre tantas. Claro que baboseiras como multiverso uma teoria quase religiosa, afinal é mais fácil aceitar que Deus existe do que crer nessa teoria maluca, mas que funciona como uma resposta sem a necessidade de experimentos, nada mais anti-científico. Como disse Anton Zeilinger: "..para colocar de forma precisa,… é preciso admitir que nós não somos meros espectadores passivos e que interferimos no estrutura do universo."

  3. existe uma confusão entre ateísmo e esquerda. é muito provável que a imensa maioria dos ateus sejam de esquerda. mas o que ele reclamana é de uma militância atéia que é obviamente diferente de ateísmo.

    o difícil para religiosos reconhecerem é que o ateísmo faz bem para religião, é uma crítica necessária, e apresenta alguns limites à "livre fé" que religiosos – principalmente novatos – desenvolvem.

    os vazios são importantes. o vazio da política – os anarquistas/libertários – e o vazio da religião – os ateus/agnósticos – trazem à mesa preocupações relevantes em ambos contextos, e ao mesmo tempo que ambos vazios não são capazes de anularem as fés ou paixões políticas de terceiros, os vazios são responsáveis por aprimorar ambos contextos através da demonstração de fragilidades quando não simplesmente loucura apresentada pelos mais apaixonados.

    existem muitos problemas entre os religiosos. existem muitos problemas em qualquer grupo humano. existem muitos problemas entre anarquistas e ateus. ainda sim alguma ponte entre estes grupos antagonistas precisa existir. o contato é mutuamente benéfico e conversões dos dois lados acontecem!

  4. Alguns "ateus" apenas negam acreditar em um ser superior e recusam as leis por conveniência, nada mais que isso!
    Como vou trair minha mulher sabendo da condenação? Como enganar os outros sabendo da condenação? Tentam achar uma brecha na lei pra fazer o errado, mas está escrito no livro uma parte sobre isso também… Ninguém vai escapar do julgamento divino, acreditando ou não!

  5. Interessante.
    Mas discordo da afirmação de que todo ateu é intolerante, "odeia Deus" e etc. Não mesmo. Há pessoas que não acreditam na existência de um deus e, portanto, não têm a que odiar. Não estão nem aí. Não odeiam Deus porque não acreditam na sua existência e ponto.
    Essa turma de "novos ateus" a que ele se refere é outra coisa, é mais uma militância dessas que andam por aí distribuindo ódio sobre tudo quanto é assunto. Esses sim, são difíceis, perigosos.
    O ateu comum respeita os religiosos. Tenho amigos ateus que convivem muito bem com nossas conversas sobre Deus e religião. Sem problemas.

    Agora, na mesma linha dos "novos ateus raivosos" há também outras tribos militantes que andam surgindo, como os vegetarianos mais radicais, ou veganos, que ficam atacando quem não aderiu aos hábitos deles. Chegam a ser intolerantes, arrogantes, agressivos e ainda se colocam "acima" das pessoas normais, como se fossem "superiores" por não consumirem nada de origem animal.

    O problema nem está em ser ateu ou vegano. O problema está em ser intolerante, seja qual for o motivo.

  6. Ele age da maneira como acusa os ateus de serem, com arrogância e intolerância, generalizando e rotulando. Assim como há cristãos, muçulmanos, budistas, judeus, etc, que são chatos e os que não são, o mesmo se passa com os ateus. Não há uma massa homogênea de ateus querendo converter os crentes ao ateísmo, como ele falsamente proclama. Mesmo sendo o oposto do irmão e até tendo a voz idêntica, pena que não tem a mesma capacidade argumentativa.

  7. A palavra ateísmo pra mim é algo muito forte, é a certeza absoluta que não existe um ser superior que criou tudo, foge um pouco da natureza racional do ser humano que em todas as tribos e nações do mundo sempre buscavam por algo transcendental o que traz sentido pra vida, ateísmo vive uma vida sem sentido e ainda milita contra quem acredita porque acha que a religião é um atraso. É burrice total.

  8. Porra, pelo que o Peter disse no vídeo, os Novos Ateus são como os religiosos? Intolerantes e resistentes a argumentos externos? hahaha
    Felizmente não faço parte do grupo criticado, tenho certeza da inexistência de deuses, e não faz o menor sentido odiá-los.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here