O Grande Expurgo das Redes Sociais – Paul Joseph Watson

19
146

A PÁGINA OFICIAL DO PROF. OLAVO DE CARVALHO FOI BLOQUEADA ESSA SEMANA (14/08) PELO FACEBOOK.

Os três globalismos estão a um passo de começar sua descida às profundezas de seu inferno político. A morte se aproxima, ronda muita das instituições e grupos que trabalharam durante décadas para que o mundo esteja dominado por uma pequena elite de ungidos não eleitos. A vitória de Trump nos EUA, o Brexit na Grã-Bretanha, a escassez de recursos da ONU, a derrota do Foro de São Paulo e do Diálogo interamericano com o impeachment da Dilma (PT) no Brasil são apenas alguns dos gritos de independência que ainda hão de ecoar muito pelo mundo inteiro nos próximos anos.

As vitórias de um conservadorismo interessado na liberdade e que respeita as soberanias nacionais assusta as três forças globalistas. Este pavor é o medo do fim de seus projetos, e uma derrota que pode ser ainda pior do que o fim da URSS foi para os comunistas. Como não conseguem vencer pela força de suas idéias, globalistas procuram formas de calar as vozes que os desafiam, como tantos movimentos totalitários buscaram fazer ao longo da história. Pela via estatal, com atuação principalmente dos comunistas do Foro de São Paulo, há as tentativas do judiciário de dominar a liberdade de expressão e o processo eleitoral. Há também os esquemas que tentaram transformar todo o legislativo em funcionários do Partidão. O Partidão, não é só PT, mas todo o Foro de São Paulo.

Pelas vias privadas, socialistas reformistas trabalham noite e dia buscando controlar a narrativa na mídia e nas universidades. Inicialmente, faziam isto através apenas de suas ONGs, mas agora já conseguem criar uma cultura organizacional que vê como natural a censura nas mídias sociais. Consideram a divergência política mais obscena do que violência e putaria.
Diversas vozes já foram caladas. O Alex Jones do InfoWars foi banido do Youtube, do Twitter e do Facebook e o Milo Yiannopoulos foi banido do Twitter. Centenas de pessoas já tiveram seu conteúdo excluído e a suspensão por 30 dias apenas por publicar coisas que desagradam às sensibilidades politicamente corretas dos censores destas plataformas.

No Brasil, o mais recente a sofrer com a censura foi Olavo de Carvalho. Considerado como uma das maiores influências intelectuais da direita, Olavo teve sua conta no Facebook suspensa por 30 dias, praticamente todo o período mais decisivo das eleições de 2018. Eleições que podem marcar o fim do domínio globalista, tanto marxista, como o domínio pelo socialismo reformista, por toda a América Latina. E sabe-se lá que até onde iria a repercussão de um evento histórico desta magnitude.
Enquanto isto, as trupes que vivem para caluniar, imputar crimes e intimidar o Olavo de Carvalho e outras pessoas dentro da direita, sem que haja sequer uma gentil advertência. Atacar a direita se tornou passe livre cometer toda sorte perversidades. O único pecado mortal para os censores das mídias sociais é divergir e superar a esquerda no campo intelectual. Isto para eles é inaceitável !

Olavo de carvalho fala da censura que recebeu:
https://www.youtube.com/watch…

Califórnia, um ponto chave no embate cultural e na censura das mídias sociais.

A censura comunista terceirizada: as agências de fact-checking


Youtube Tradutores de Direita

19 COMENTÁRIOS

  1. BOICOTE NACIONAL CONTRA:
    A dita “grande mídia”: TV Globo, Globo News, SBT, Rede TV, RecordNews, Estadão, Folha SP, UOL, Veja, G1, CBN, BBC, Jovem Pan, BandNews, R7, Época, Valor Econômico, RBS, Zero Hora, etc. E, as redes sociais: Twitter, Facebook, YouTube, WhatsApp, Instagram, etc.

    Oligopólio, no dicionário, é um mercado em que só há um pequeno número de vendedores para uma multidão de compradores.

    O Artigo 54 afirma que deputados e senadores, a partir do momento em que tomam posse, não podem “firmar ou manter contrato” ou “aceitar ou exercer cargo, função ou emprego remunerado” em empresa concessionária de serviço público. A primeira linha do Artigo 55, diz: “Perderá o mandato o deputado ou senador que infringir qualquer das proibições estabelecidas no artigo anterior“. O Artigo 220 em seu parágrafo 5º afirma: “Os meios de comunicação social não podem, direta ou indiretamente, ser objeto de monopólio ou oligopólio.” O inciso I do Artigo 221 da Constituição diz que a preferência na radiodifusão deve ser dada às finalidades educativas, artísticas, culturais e informativas. O inciso II do mesmo artigo prega o estímulo à produção independente. (CF/88 – Capítulo V, da Comunicação Social)

    O que acontece na prática?
    Mais de 30% das concessões de rádio e TV no Brasil estão em poder de congressistas. Em um universo de aproximadamente 300 TVs, mais de 3.200 rádios e 6.200 retransmissoras comerciais existentes no Brasil, mais de 55 estão nas mãos de deputados e senadores. São 27 senadores e 53 deputados sócios ou parentes de proprietários de empresas de comunicação concessionárias de serviço público.
    Juntas, essas rádios e televisões somam patrimônio milionário e entre elas estão afiliadas das principais redes de TV do país.
    O deputado Sarney Filho (PV) declarou ter R$ 2,7 milhões em participação na TV Mirante, retransmissora da Globo no Maranhão. O ex-presidente Fernando Collor (PTB), reeleito ao Senado, é sócio da afiliada da Globo em Alagoas. São sócios de afiliadas da Bandeirantes o senador eleito Tasso Jereissati (PSDB-CE) e a deputada Elcione Barbalho (PMDB-PA), ex-mulher do senador Jader Barbalho.
    Na lista dos donos de rádios eleitos também estão Celso Russomano (PRB-SP) e Aguinaldo Ribeiro (PP-PB). O senador Aécio Neves (PSDB) declarou na eleição ser sócio em uma emissora de rádio que retransmite a Jovem Pan em Belo Horizonte, Robinson Faria (PSD) possui uma rádio no interior do Rio Grande do Norte, e o alagoano Renan Filho (PMDB), que declarou participação em outras duas.
    O número de congressistas proprietários deve ser ainda maior, já que é comum o registro permanecer no nome de familiares ou laranjas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here